Clique para ampliar


Otto

Apesar da idéia do motor de 4 tempos ter sido originalmente concebida e patenteada por Alphonse Beau de Rochas, em 1862, a primeira realização prática foi de autoria do alemão Nicolaus Otto. Ele pôde obter uma patente em 1863 através da influência de seu novo sócio, Eugen Langen, que o financiou. Em 1867, seu motor de dois tempos ganhou uma medalha de ouro na Feira Mundial de Paris. Segundo algumas fontes, sua profissão original era a de caixeiro viajante, e, numa ocasião, estando em Paris, conheceu o motor de Lenoir. Fascinado com a invenção, de algum modo ele intuiu as possibilidades desta nova máquina. Instalou uma pequena oficina em sua casa, e realizou suas pesquisas, durante as quais descobriu o princípio do motor de quatro tempos, com a compressão da mistura admitida. O ciclo de quatro tempos passou, desde então, a ser conhecido como ciclo Otto. Conseguiu então produzir o primeiro motor de quatro tempos bem-sucedido em 1876, chamando-o de motor silencioso, em contraste com o seu motor anterior, barulhento. Otto teve sucesso com sua empresa, e teve como empregados ninguém menos que Daimler e Maybach, que posteriormente fundaram sua própria fábrica

 


Daymler e Maybach

O motor de combustão interna de alta velocidade do alemão Gottlieb Daimler revolucionou a indústria automotiva. Ele havia trabalhado na fábrica de Otto junto com um colega, Wilhelm Maybach, mas os
 dois decidiram fundar seu próprio estabelecimento, e deixaram Otto. Seu motor monocilíndrico de
quatro tempos, criado em 1883, atingia uma velocidade de várias vezes superior a qualquer outro motor existente, e desta forma produzia muitas vezes a potência dos outros de mesmo peso. Clique para ampliarEnquanto que o motor de Otto atingia 130 revoluções por minuto (rpm), o de Daimler e Maybach chegava a 600 rpm. Este motor usava a ignição a tubo quente

Clique para ampliar

Clique para ampliar

<<

1 | 2 | 3 | 4 | 5


>>