"Se não houvesse memória histórica, quem se lembraria das estradas romanas próximo do início da era cristã, do criador da Escola de Sagres, de Leonardo da Vinci com seus desenhos de máquina que se locomoviam por tração própria, do brasileiro Bartolomeu Gusmão, homem que viveu séculos na frente de seu tempo, sendo o primeiro a alcançar-se aos céus, o filósofo Blaise Pascal e seu projeto de ônibus de tração animal apresentado a Luiz XIV, o major de artilharia Nicolas Cugnot com sua viatura barulhenta que se movia por si mesma, Amédée Bollée, Trépardoux, De Dion, Bouton e suas máquinas loucas à vapor, August Otto, Rudolf Diesel e, principalmente, Santos-Dumont que com suas loucuras e suas máquinas maravilhosas nos lançaram no progresso do tempo!"

  Eurico Galhardi

As carruagens de "Cinq Sols" Stanislas Baudry, criador do transporte coletivo moderno

 

As diligências do "Beija-Mão"

 

As asas de um sonho

 

O "motor social" de Rudolf Diesel

 

O Primeiro homem a elevar-se aos céus

 

Barão de Mauá, patrono do empreendedor brasileiro

 

1908. Uma ano marcante para o transporte coletivo do Rio de Janeiro e do Brasil

 

Santos-Dumont, o criador da aviação moderna

 

Augusto Severo, pioneiro e mártir