- T R A Ç Â O  A N I M A L -

Veículos a vapor  |  Motor a explosão Outras tecnologias


 

Clique para ampliar

O Faeton
O nome "Faeton" foi utilizado pela primeira vez em 1788, e é proveniente da mitologia grega. Faeton era filho de Hélios, o sol, e conduzia o carro de seu pai. Tendo os cavalos disparado, Faeton perdeu o controle, e o fogo do carro do sol acabou incendiando a Terra. Todos veículos deste tipo têm quatro rodas, e eram muitas vezes conduzidos pelos proprietários em pessoa. Eram geralmente usados por pessoas abastadas

 

O Cabriolé
Viatura de origem francesa, o cabriolé fez sua aparição na Inglaterra no princípio do século XIX. Ele concorria com a Sege e a Traquitana, e era usado antes de 1814 pela alta burguesia e fidalgos. Com o tempo, tornou-se popular, e também um flagelo para as ruas de Paris, pois causava congestionamentos pela quantidade excessiva de viaturas. No Rio de Janeiro, o primeiro cabriolé chegou em 1839. Ele foi comprado em Paris por Joaquim José Pereira de Faro, Barão de Rio Bonito, e enviado a um de seus filhos. Sua chegada causou grande sensação

Clique para ampliar

 

Clique para ampliar

Stanislas Baudry
Na França, em 1826, na cidade de Nantes, o empresário Stanislas Baudry, proprietário de uma casa de banhos afastada da cidade, via seu negócio ir de mal a pior, pois seus prováveis clientes tinham muitas didiculdades para chegar até lá. Ao saber da existência de um sistema de transporte criado por Etienne Bureau para solucionar uma situação similar à sua, ele pediu à municipalidade autorização para estabelecer um serviço de viaturas entre Richebourg e Salorges, recriando assim o transporte coletivo urbano por ônibus, desaparecido após a tentativa de Blaise Pascal no século XVII. Renascia então o transporte coletivo moderno, em 10 de agosto de 1826. Por conta do sucesso obtido ele abandonou seu negócio de banhos, dedicando-se únicamente ao transporte coletivo. Como seus veículos estacionavam diante da loja de chapéus Omnes, onde havia uma placa com a inscrição "Omnes Omnibus", o nome dos veículos foi popularmente instituído como omnibus, numa referência não só á loja, como à mensagem estampada na sua divisa: "Tudo para todos". A imagem mostra a atual localização do ponto final dos omnibus de Baudry, na cidade de Nantes 

 

Os primeiros ônibus de Londres
A criação do primeiro serviço de transporte coletivo em Londres é tradicionalmente atribuída a Georges Shillibeer. Ele iniciou os serviços de sua companhia em 4 de julho de 1829, com um ônibus puxado por três cavalos. As tentativas anteriores de estabelecimento de um sistema de transporte coletivo na cidade de Londres foram impedidas pelo monopólio dos hackney-coaches, os táxis da época, no centro da cidade. Os veículos que levavam passageiros para a periferia não podiam embarcar ou desembarcar passageiros na área central de Londres, somente no ponto final. Shillibeer conheceu a experiência dos ônibus em Paris, onde morava e construía carruagens, e aplicou esse conhecimento ao retornar para a Inglaterra e criar o seu negócio

 

Clique para ampliar

 

Clique para ampliar


A Enterprise Génerale des Omnibus de Stanislas Baudry

O criador do primeiro serviço de transporte coletivo moderno, os ônibus, Stanislas Baudry, após ter sido bem sucedido na cidade de Nantes, introduziu em 1828 este mesmo sistema em Paris. Para tal fundou a Entreprise Générale des Omnibus, e teve como sócios Boitard e Saint-Céran. A companhia recebeu autorização para funcionar em 30 de janeiro de 1828, podendo utilizar no máximo cem viaturas. Apesar da novidade, o que significava a ausência de uma concorrência, e da grande demanda por um serviço deste tipo, a empreitada de Baudry tornou-se um desastre financeiro, e este, desesperado, terminou por suicidar-se 


 

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11
12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18


>>