Clique para ampliar


O Cisium
A viagem era uma empreitada que tinha seu cortejo de desventuras e inconvenientes, e é por isto que Horácio se diz feliz por não ser rico o bastante, o que o obrigaria a manter uma legião de escudeiros e cavalos, e obter viaturas de todo tipo. Ele se contenta em cavalgar uma pequena mula e caminhar lentamente, se arrastando, para Tarentum. O veículo mais usado pelos romanos em suas viagens era a raeda, além da carruca, ambos os quais muitas vezes serviam como dormitórios. O cisium também era muito usado. Ele só tinha duas rodas, em vez das quatro da raeda. (século I D.C)

 

O Pilentun
O pilentum era originalmente uma viatura sagrada, servindo para o transporte das estátuas de deuses e objetos de culto. Um belo exemplo de pilentum é aquele da deusa Cibele, conservado em Nova York. Esta carreta de quatro rodas era, no essencial, uma forma desenvolvida do plaustrum. Mais tarde, ele foi utilizado pelas Vestais e as matronas. Na Eneida de Virgílio, o escudo de Enéas nos mostra estas «atravessando a cidade em pilenta acolchoados». (século II A..C.)

Clique para ampliar

<<

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12


>>