Clique para ampliar

As carruagens do Rei-Sol
Durante o reinado de Luís XIV, a França assumiu a dianteira no desenvolvimento dos carros, introduzindo inovações técnicas. As carruagens foram ornamentadas com finas pinturas, obras de grandes artistas da época. O museu de Cluny conservou o modelo de uma carruagem de Luís XIV, que nos mostra novas conquistas: a estrutura da suspensão traseira, e a solução trazida para o eixo dianteiro giratório, graças a rodas menores que as rodas traseiras, que permitia às rodas girar sob a caixa. O rei-Sol gostava dos passeios em viatura, e se mostrava habitualmente em sua carruagem de gala nas festas, muito freqüentes na época (séculoClique para ampliar XVII). A única carruagem real que subsistiu na França é aquela da sagração de Charles X, irmão de Luís XVI, em 1825, que vemos na imagem. (século XVIII)
 

 

Tração humana por necessidade
Aproximadamente desde o século XVII ficou estabelecida a estrutura das carretas, carroças e veículos similares. Se excetuarmos alguns detalhes, elas permanecerão as mesmas até o século XX. Em algumas viaturas, o condutor ficava sentado sobre as costas do animal, enquanto que outras eram puxadas por três cavalos, algumas por dois. Destaca-se a leveza e mobilidade já atingidas, a ponto de dois homens poderem arrastar um veículo, em caso de necessidade. Estes dois camponeses, após terem sido obrigados a comer seus animais, assumem o lugar das bestas de tração, continuando sua fuga desesperada diante do invasor turco. (1698 D.C)

Clique para ampliar

<<

1 | 2 | 3 | 4